Contra o AEDES

Campanha : Contra o AEDES - " Esse mosquito mata ! Previna-se!"


 Ubá cria “Liga da Saúde” para sensibilizar população e combater o Aedes

   As ações de prevenção e combate ao mosquito Aedes Aegypti estão sendo intensificadas em Ubá. Além do combate direto ao mosquito, com a eliminação de focos, a sensibilização da população também está sendo priorizada. Para abraçar o maior número de parceiros nesta empreitada, foi formada uma “Liga da Saúde”, integrada pela Prefeitura de Ubá e diversos parceiros como ADUBAR, ECP Engenharia, Unimed, AMUR (Associação dos Médicos de Ubá e Região), Medicina FAGOC e Intersind.

    Empenhados na busca pela prevenção e enfrentamento do Aedes aegypti, tendo em vista os números dos últimos levantamentos de índice de infestação do mosquito em Ubá e o histórico das doenças transmitidas por ele no município, diversas ações já foram executadas. Entre elas, destacam-se as intervenções do “Dia A – Ação Contra o Aedes”, em que tendas foram fixadas nas Praças Guido Marlière e São Januário prestando esclarecimentos sobre o armazenamento correto de água, enquanto eram realizadas blitz educativas em semáforos da cidade e panfletagem no Calçadão Deputado Ibrahim Jacob; além de palestras sobre a inspeção de casas e quintais para alunos da rede municipal e trabalhadores das indústrias moveleiras. Foi realizado também o “1º Seminário Regional de Doenças Transmitidas pelo Aedes”, com foco nos profissionais de saúde como médicos, enfermeiros e agentes de combate às Endemias de toda microrregião. Na ocasião, profissionais alertaram sobre a importância da notificação dos casos, protocolos clínicos, e trouxeram dados alarmantes sobre a gravidade das doenças transmitidas pelo Aedes e suas consequências.

   Dentre as próximas ações previstas no plano de ações de prevenção e combate ao Aedes constam ações de sensibilização dos médicos quanto a notificação de suspeitas das doenças, além de orientação aos pacientes quanto a importância da realização do exame laboratorial. Ações de incentivo a população sobre uso, de forma adequada, do repelente, através dos veículos de comunicação tradicionais e redes sociais também serão realizadas.

    Estão previstas ainda a limpeza de áreas críticas da cidade e locais com acúmulo de lixo, a aplicação de inseticida nas indústrias localizadas em bairros com a presença de focos do mosquito e/ou com casos suspeitos ou confirmados da doença e a realização de uma gincana com todas as escolas do município, após o retorno das aulas.

A doença

   O Aedes Aegypti é o principal vetor de doenças que têm afetado massivamente a população, entre elas Dengue, Zika, Chikungunya e Febre Amarela.

   Em condições ambientais favoráveis, o desenvolvimento do mosquito até a forma adulta pode levar um período de 10 dias. Por isso, a eliminação de criadouros deve ser realizada pelo menos uma vez por semana: assim, o ciclo de vida do mosquito será interrompido.

   Segundo dados do Instituto Oswaldo Cruz, grandes reservatórios, como caixas d’água, galões e tonéis são os criadouros que mais produzem o Aedes e, portanto, os mais perigosos. Isso não significa que a população possa descuidar da atenção a pequenos reservatórios, como vasos de plantas, calhas entupidas, garrafas, lixo a céu aberto, bandejas de ar-condicionado, poço de elevador, entre outros. O alerta é para que os cuidados com os reservatórios de maior porte sejam redobrados, pois é neles que o mosquito seguramente encontra melhores condições para se desenvolver de ovo a adulto.

Sinal amarelo: O último LIRAa ( Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes) apontou um índice de infestação em Ubá de 3,8, que é considerado situação de alerta. Esse cenário demonstra a necessidade de reforçar as ações de prevenção e combate ao Aedes aegypti. A contribuição da comunidade é de fundamental importância para a luta contra essas doenças, uma vez que a maior incidência de focos do mosquito está nas residências. 

 

Contra o AEDES

parceiros

Certa Soluções Aciubá Unimed Uba Prefeitura
Sebrae Intersind Grupo Um